Categorias
Saúde e bem estar

Mais saude com a casca de limão

O limão é um fruto cítrico muito comum nas cozinhas de todo o mundo. Tal como as laranjas, toranjas e limas, o seu sumo e a polpa são os mais utilizados, enquanto que a casca costuma ser deitada ao lixo.

Mas estamos aqui para lhe dizer para não fazer isso!

Desde aromatizante a produto de limpeza, a casca de limão é extremamente versátil e útil.

Para além dos vários usos que ela pode ter, a casca de limão também possui imensas propriedades benéficas para a sua saúde.

Antes de saltarmos para o que pode fazer com as cascas dos limões, conheça os seus benefícios.

Benefícios da casca de limão
A casca de limão, assim como o próprio limão em si, comporta diversos benefícios para a sua saúde, entre os quais, melhoria da saúde oral e cardíaca, bem como do sistema imunitário. Também tem-se revelado potente na dissolução de pedras nos rins.


Isto deve-se às suas propriedades antibacterianas, antimicrobianas e antifúngicas que advêm dos seus componentes nutricionais:

Fibra;
Minerais;
Antioxidantes, como flavonóides, vitamina C e D-limoneno;
Pectina.
Usos para a casca de limão
A casca de limão pode ter muitos destinos; é extremamente versátil.

Casca de limão na casa
As cascas de limão podem ser utilizadas como um produto de limpeza geral em casa. Junto com o vinagre, são imbatíveis na relação preço/qualidade.

Encha uma jarra com cascas de limão e vinagre e deixe descansar durante duas semanas. Retire as cascas e misture a solução com aproximadamente a mesma quantidade de água. Coloque a mistura numa embalagem de spray e está feito.

Também podem ser utilizadas para limpar produtos de aço inoxidável.

Espalhe um pouco de sal nos objetos que deseja limpar e esfregue as manchas com as cascas de limão. Passe água em seguida.

Se tem uma chaleira tradicional e a quer limpar, encha-a com água e coloque cascas de limão lá dentro, levando à fervura. Desligue o lume e deixe a água descansar durante 1 hora antes de passar por água limpa.

Utilize as cascas de limão para aromatizar o caixote do lixo e o frigorífico, ou a própria casa.

Coloque algumas cascas dentro do frigorífico e no fundo do caixote o lixo para absorverem os maus odores. Para a casa, ponha num recipiente as cascas de limão e deixe o cheiro cítrico espalhar-se pela casa. Também pode juntar cascas de laranja ou lima.

As cascas de limão podem ainda ajudar a proteger as suas plantas do seu gato, assim como protegem a sua casa de formigas e outros insetos.

Apesar de o limão não ser perigoso para os gatos, eles não gostam do cheiro, por isso, pode colocar algumas tiras de casca de limão nos vasos das plantas.

Para proteger dos insetos, principalmente nas plantas de exterior, ferva por alguns minutos água com casca de limão, deixe arrefecer e adicione um pouco de sabonete líquido da loiça. Ponha numa embalagem de spray e pulverize as zonas afetadas.

Nos dias mais frios, podem ser uma mais valia para ajudar a fazer fogo para a lareira.

Seque as cascas de limão no forno até ficarem crocantes e douradas e estão prontas para irem para a lareira.

Casca de limão na comida
A casca de limão pode ser adicionada a imensos pratos uma vez que pode ser comida fresca, desidratada, congelada, em pó, ou coberta com açúcar.

Adicione uma casca de limão ao chá já feito.


Corte a casca às tiras e junte uma ou duas tiras a uma chávena de água quente para um carioca de limão. Também pode congelar as tiras para tirar sempre que quiser.

Adicione as raspas de limão a pratos assados, ou coloque as cascas de limão ou laranja dentro da carne, seja peru ou frango, para dar um extra sabor e um pouco de humidade para a carne não secar tanto.

As raspas de limão também podem ser adicionadas a saladas ou iogurtes

Categorias
Saúde e bem estar

Saiba mais sobre os alimentos picantes

Há vários mitos ligados à comida picante; uns verdadeiros, outros falsos.

Aqui pretendemos desvendar quais são, então, os benefícios e os malefícios da comida picante que muitos gostam.
Um dos mitos que mais tinta faz correr é o da propensão da comida picante para provocar hemorróidas. Isto não é verdade, contudo, quem sofre de hemorróidas, deve evitar o picante para não agravar a inflamação.

Outro mito popular refere que o picante ajuda a provocar o parto, causando contrações, mas não existem estudos científicos que comprovem este facto. Muitos médicos acreditam que o que acontece é o picante acentuar sintomas de gastrite ou acidez estomacal e, portanto, recomendam às pessoas que sofrem de gastrite ou úlceras estomacais que evitem comida picante. Pelo contrário, para quem não tem este tipo de patologias, o picante ajuda a proteger a mucosa gástrica.

Vantagens
A maior vantagem do picante foi descoberta por pesquisadores da “Harvard School of Public Health”: pessoas que ingerem este tipo de alimentos têm tendência para viver mais tempo. Descobriram ainda que a comida picante feita de pimenta fresca tem um efeito protetor superior àquela constituída de pimenta seca.

Perda de peso:
De acordo com vários estudos realizados, a comida picante ajuda a estimular o metabolismo, acelerando-o e aumentando o calor corporal, o que faz com que este queime calorias mais rápido.

Ainda, um outro estudo confirmou que o apetite diminui, sendo o efeito ampliado para aqueles que não consomem comida picante regularmente.

Saúde:
As características dos condimentos picantes devem-se, principalmente, a uma substância química chamada capsaicina, responsável pela sensação de ardor ou comichão quando em contato com a mucosa bucal. Um estudo feito em Inglaterra concluiu que este composto ajuda a diminuir o risco de cancro e até a eliminar células cancerosas.

Outros estudos demonstram que a aplicação tópica de capsaicina pode reduzir a dor neuropática e outras dores no corpo. O suposto mecanismo centra-se numa substânica, conhecida como “substância P”, que influencia nos casos de feridas e lesões uma vez que transporta a mensagem de dor para o cérebro. Isto explica o porquê de ser utilizada como ingrediente em cremes e medicações de alívio de dores.

Também está presente em cremes utilizados no tratamento da psoríase, uma doença de pele. O creme de capsaicina reduz significativamente o número de células replicadoras e ajuda na reversão das lesões cutâneas.

Ainda um outro estudo sugere que uma dieta alimentar rica em capsaicina pode ter um efeito protetor contra as úlceras visto que mata a bactéria Helicobacter pylori.

Categorias
Saúde e bem estar

Gastrite nervosa


Por apresentar sintomas idênticos ao da gastrite convencional – queimação, inchaço abdominal e arrotos frequentes são os mais comuns – sua verdadeira causa pode demorar a ser identificada. E isso nos faz acreditar que se trata apenas de um problema de ordem física, quando na verdade suas causas são emocionais.

Dessa forma, é importante entender que o estresse e a ansiedade excessivos podem fazer muito mal também ao nosso corpo e não só à nossa mente, podendo levar um quadro de dispepsia funcional, ou até mesmo agravar os sintomas de uma gastrite aguda ou crônica que já tenha se instalad



Por isso, precisamos levar a sério a conexão intestino-cérebro para tratar uma possível gastrite nervosa da forma correta. Estamos falando de incluir cuidados com a saúde mental através de psicoterapia. E, até mesmo, com uma consulta ao psiquiatra. o.s.

Emoções em desordem podem levar à gastrite nervosa

Quem nunca teve aquela sensação típica de quem está apaixonado? Ao ver a pessoa amada, sentiu uma espécie de reviravolta, que chamamos de “borboletas no estômago”, e até dor de barriga? Essa é uma demonstração de como nosso cérebro exerce efeito sobre nosso sistema digestório.



Da mesma forma, situações angustiantes podem nos fazer sentir náuseas. Isto demonstra como nosso trato gastrointestinal é sensível a diversas emoções como tristeza, euforia, raiva e ansiedade.

Contudo, a conexão entre nosso cérebro e sistema digestório é uma via de mão dupla. Pois tanto o cérebro pode enviar sinais ao estômago e intestino através das emoções, quanto o contrário.

Um indivíduo que apresente problemas intestinais ou gástricos pode ter seu estresse e ansiedade potencializados. Portanto, o desconforto causado pela “gastrite nervosa” tanto pode ser a causa quanto a consequência de problemas emocionais.

Todavia, o mais comum é que, quando nossa saúde mental e emocional não vai bem, seja ela a responsável pelo surgimento de disfunções dessa natureza.

Isso ocorre porque quando nos expomos a situações constantes de estresse e ansiedade (entre outros fatores emocionais, esses são os mais comuns). Essas emoções tendem a elevar a produção da secreção ácida no estômago, provocando os sintomas mais comuns da gastrite, sem que haja, de fato, uma inflamação ou doença gastroin testinal.

soa amada, sentiu uma espécie de reviravolta, que chamamos de “borboletas no estômago”, e até dor de barriga? Essa é uma demonstração de como nosso cérebro exerce efeito sobre nosso sistema digestório.

Da mesma forma, situações angustiantes podem nos fazer sentir náuseas. Isto demonstra como nosso trato gastrointestinal é sensível a diversas emoções como tristeza, euforia, raiva e ansiedade.

Contudo, a conexão entre nosso cérebro e sistema digestório é uma via de mão dupla. Pois tanto o cérebro pode enviar sinais ao estômago e intestino através das emoções, quanto o contrário.

Um indivíduo que apresente problemas intestinais ou gástricos pode ter seu estresse e ansiedade potencializados. Portanto, o desconforto causado pela “gastrite nervosa” tanto pode ser a causa quanto a consequência de problemas emocionais.

Todavia, o mais comum é que, quando nossa saúde mental e emocional não vai bem, seja ela a responsável pelo surgimento de disfunções dessa natureza.

Isso ocorre porque quando nos expomos a situações constantes de estresse e ansiedade (entre outros fatores emocionais, esses são os mais comuns). Essas emoções tendem a elevar a produção da secreção ácida no estômago, provocando os sintomas mais comuns da gastrite, sem que haja, de fato, uma inflamação ou doença gastroin testinal.

Tanto quanto a gastrite convencional, a gastrite nervosa podem estar associada com a má alimentação, o que tende a piorar o quadro.

Afinal, tanto os fatores emocionais quanto os maus hábitos alimentares resultam no aumento da produção do ácido dentro do estômago, provocando todo o desconforto característico da gastrite.

O consumo de café em excesso, por exemplo, é uma prática comum de quem precisa driblar o cansaço. Assim como comer muitos doces para aliviar o estresse. Esses são dois fatores que podem piorar muito os sintomas da gastrite nervosa. E entre os principais sinais do problema estão:

dores estomacais agudas;
queimação, principalmente depois de comer;
sensação de “estufamento” e barriga inchada;
náuseas e vômitos;
gases e arrotos frequentes
perda de apetite;
digestão lenta;
diarreia.
Mas como saber quando todas essas sensações são causadas não por um fator unicamente físico, e sim por problemas emocionais como ansiedade e estresse?

Para isso, é necessário prestar atenção em outros sinais de ordem emocional, que poderão dizer se seu problema é uma gastrite comum ou se trata da conhecida “gastrite nervosa” desencadeada por estresse crônico ou um transtorno de ansiedade.

Categorias
Saúde e bem estar

Método completo para fazer a dieta Low Carb

A dieta Low Carb é definida pela Organização de Diabetes do Reino Unido como uma dieta onde existe uma redução do consumo de carboidratos, devendo-se ingerir menos de 130 g deste macronutriente por dia. Uma vez que esta quantidade de carboidratos representa apenas 26% da energia necessária para o organismo, o resto deve ser proporcionado pelo consumo de gorduras boas […]

Método completo para fazer a dieta Low Carb
Categorias
Saúde e bem estar

Saúde integral, um sonho possível

Me cuidar, ter uma rotina mais saudável, fazer mais do que gosto, me permitir ter momento só meus, de autocuidado? Isso não é para mim! Se você pensa assim, saiba que está jogando contra você mesmo. Sim, você pode. Sim, é possível ter uma rotina que traga prazer, alegria, que seja saudável, dentro dos seus […]

Saúde integral, um sonho possível
Categorias
Saúde e bem estar

Microfisiotapia para o nervo ciático

Tem um ditado que diz: dor não curada, dor instalada. Claro que estamos também falando de dores físicas – se temos um sintoma e não tratamos, a tendência é que ele piore, certo? Mas estamos nos referindo, especialmente, às dores da alma, aos nossos traumas vividos e que, se não tratados, podem se tornar dores […]

Microfisiotapia para o nervo ciático
Categorias
Saúde e bem estar

Como reduzir as dores de cólicas

Como surgem as cólicas?
Conhecida também como dismenorreia, a cólica menstrual é uma dor na região do pé da barriga, parte mais baixa do abdome que surge como manifestação de contrações do útero. Essa ação é necessária para eliminar o endométrio quando uma gestação não aconteceu (a camada interna uterina cresce a cada ciclo com o objetivo de preparar o local para receber um embrião, caso a mulher engravide).

As cólicas são divididas entre primárias e secundárias.

A cólica primária é quando desde o primeiro ciclo menstrual da vida da mulher ela já tinha cólicas.

A secundária é quando ela antes não tinha cólicas e passa a ter em algum momento da vida. Geralmente a dismenorreia secundária nos preocupa mais, mas toda cólica deve ser valorizada se incomoda a mulher.

As mulheres nessa situação devem procurar um ginecologista para um diagnóstico mais preciso e para receber o tratamento adequado.

Como diminuir as dores?
Existem técnicas que podem ajudar a diminuir o desconforto causado pelas cólicas menstruais regulares. Veja alguns exemplos:

Faça exercícios físicos
Isso auxilia a relaxar a musculatura da região e a suavizar as dores.

Pratique meditação
Há estudos que comprovam o benefício da meditação diária para alívio de dores crônicas.

Tome medicamentos para a dor
Um médico pode receitar um analgésico ou remédios específicos para diminuir esse incômodo e lembre-se: a automedicação não deve ser uma alternativa. Sempre procure a ajuda de um profissional!

Mantenha o abdômen aquecido
Tomar um banho quente e repousar com uma bolsa de água aquecida sobre a região dolorida pode contribuir para aliviar o desconforto. Isso porque o calor tem capacidades de relaxamento muscular.

As cólicas menstruais são comuns, mas, se você sente dores que a incomodam e que têm atrapalhado suas atividades cotidianas, não deixe de procurar um médico.